Chuva em Pequim após tufão transforma ruas em rios e deixa 2 mortos

Rede de Rádios

Chuva em Pequim após tufão transforma ruas em rios e deixa 2 mortos

 


Dois corpos foram encontrados em um rio durante uma patrulha de emergência em Mentougou, enquanto equipes resgatavam centenas de pessoas em outras partes da cidade.

Nos subúrbios ocidentais de Pequim, carros foram arrastados nesta segunda-feira (31) por causa da chuva implacável que transformou as ruas em rios no final de semana, matando pelo menos duas pessoas e deixando centenas presas, apesar da retirada de dezenas de milhares de suas casas, durante a noite.

Centenas de vias foram inundadas na capital da China, com vídeos publicados pela mídia estatal mostrando veículos semi-submersos no distrito de Mentougou puxados por torrentes velozes conforme resquícios do tufão Doksuri causavam chuvas recordes na cidade de quase 22 milhões de habitantes.

Dois corpos foram encontrados em um rio durante uma patrulha de emergência em Mentougou, enquanto equipes resgatavam centenas de pessoas em outras partes da cidade.

Além de Pequim, fortes chuvas continuavam a encharcar a cidade vizinha de Tianjin, bem como a província de Hebei, em uma região quase do tamanho do Reino Unido na esteira de Doksuri, evento climático rebaixado para a categoria de uma depressão tropical no fim de semana.

Três dos cinco rios que compõem a bacia do rio Hai subiram para níveis perigosos nesta segunda-feira (31). Algumas casas foram inundadas pelo rio Yongding e quase 55 mil pessoas foram retiradas de suas casas na cidade de Baoding, informou a mídia estatal.

Doksuri foi uma das tempestades mais fortes a atingir a China em anos e causou inundações generalizadas no fim de semana na província de Fujian, no sul, expulsando centenas de milhares de pessoas de suas casas.

A precipitação média em Pequim atingiu 176,9 milímetros (mm) entre a noite de sábado (29) e a tarde de segunda-feira, com a precipitação máxima registrada em uma estação meteorológica em Mentougou atingindo 580,9 mm, segundo a mídia estatal.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem